Acusação de estupro de vulnerável não basta para preventiva

A gravidade do crime não basta para prisão preventiva, mesmo que seja estupro de vulnerável. O desembargador Sérgio Bizzotto Pessoa de Mendonça, do Tribunal de Justiça do Espírito Santo,  acolheu pedido de Habeas Corpus e determinou a soltura do réu. 
Para desembargador do caso, prisão preve…
Fonte: ConJur