Caixa pode terceirizar serviços jurídicos, decide STJ

Não há ilegalidade na terceirização pela Caixa Econômica Federal de
serviços jurídicos não relacionados a questões estratégicas da instituição, por não se vincularem a atividade-fim do órgão. O entendimento foi firmado pela 2ª turma do Superior Tribunal de Justiça, em acórdão publicado no último…
Fonte: ConJur