MPF permitiu que delatores usassem propina para pagar viagens

Dezoito executivos da Odebrecht decidiram colaborar com a “lava jato” e concordaram em devolver parte dos valores recebidos ilegalmente no exterior. Contudo, as quantias foram mantidas em sigilo, e eles foram autorizados a abater gastos com viagens e outras despesas pessoais na delação.
Repr…
Fonte: ConJur