Privilegiar conciliação na promoção de juízes é inconstitucional

É inconstitucional privilegiar magistrados cujo índice de conciliação seja proporcionalmente maior que o índice de sentenças proferidas dentro da mesma média. O entendimento é da ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal. 
Cármen Lúcia acolheu parcialmente os pedidos para declarar i…
Fonte: ConJur